Quem somos

Quem Somos Imagem Intro

A Escola Profissional Val do Rio (EPVR) é uma comunidade educativa que promove o valor único de cada aluno, acolhendo-o de forma positiva e comprometida.

Complementarmente, transmitimos aos alunos a paixão pelo serviço e uma atitude prestável que serve de princípio orientador do nosso projecto escolar.

As actividades lectivas da escola encorajam a liberdade e a iniciativa individual, estimulando nos alunos a vontade de trabalhar bem e com dedicação.

Garantimos aos alunos um ambiente acolhedor, ao mesmo tempo que os desafiamos a desenvolver ao máximo o seu potencial profissional e humano: a escola enfatiza a excelência académica e a integridade moral.

 

Missão

A Escola Profissional Val do Rio (EPVR) oferece aos alunos uma formação técnica e humana que contribui para o seu desenvolvimento integral e os habilita a servir a sociedade de forma útil e digna.

Proporcionamos um ambiente acolhedor, estimulamos a excelência académica e sublinhamos a integridade moral, desafiando os alunos a desenvolver da melhor maneira todo o seu potencial profissional e pessoal.

A nossa comunidade escolar está incumbida de ajudar os nossos alunos a aplicar no seu quotidiano os conhecimentos que diariamente adquirem.

Acompanhamos cada aluno de acordo com um regime de tutoria que inclui um plano individual que o ajuda a avançar tanto na aprendizagem como na sua responsabilidade pessoal e com os outros.

Na medida em que reconhecemos que a autoridade educacional repousa em primeiro lugar na família, encorajamos vivamente todos os encarregados de educação a serem partes efectivas da comunidade escolar.

Sustentamos a nossa oferta educacional em princípios cristãos, aceitando no seu seio alunos de todos os credos ou sem credo algum.

Visão

A Escola Profissional Val do Rio (EPVR) quer consolidar-se como um projecto de referência na educação portuguesa, formando hoje alunos muito motivados que tenham a ambição de ser amanhã profissionais competentes e cidadãos responsáveis.

Procuramos desenvolver actividades de enorme qualidade junto do sector social e do tecido económico da região, aprofundando relações com as empresas e outras organizações públicas ou privadas que actuam no nosso âmbito.

Trabalhamos incansavelmente os valores associados ao desenvolvimento saudável de relações humanas dentro e fora da escola – o trabalho, a dedicação, a alegria, entre outros.

Empenhamo-nos em garantir a contratação dos melhores profissionais, promovendo a sua formação e a melhoria contínua do seu desempenho técnico e humano.

HISTÓRIA

Um pouco de História

1989 - Diploma cria as bases para o desenvolvimento do Ensino Profissional, desafiando a sociedade civil a comprometer-se ativamente na resposta às necessidades de formação profissional.

A Azimute - Educação, Trabalho, Desenvolvimento é constituída nesta esteira a 11 de maio deste ano.

1989/90 - O 1º ano lectivo da Escola Profissional Val do Rio, inicia-se em setembro de 1989, suportado em contrato-programa celebrado entre a Azimute e o Ministério da Educação, integrando assim o grupo fundador do Novo Ensino Profissional.

O primeiro curso - Técnico de Indústrias Gráficas -, começa nas instalações da antiga Fundição de Oeiras, cedidas pela Câmara Municipal.

1990/91 - Sempre com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras, a Escola Profissional Val do Rio, muda-se para um pavilhão, onde nos 5 anos seguintes, se irá desenvolver a formação prática e tecnológica.

1990/91 – Em 1990 é utilizado pela primeira vez o edifício da Junção do Bem, o qual é disponibilizado pela Associação que lhe dá o nome, ao abrigo de uma parceria de longa duração, celebrada ainda em 1989.

Estas mesmas instalações foram objeto de inúmeras obras de beneficiação nos anos seguintes até à situação atual

1991/92 - É aprovado o Curso de Técnico de Artes Gráficas, o qual surge para responder de modo integrado às necessidades de profissionais qualificados pelos meios de comunicação.

1992/93 – O polo de Cascais da Escola Profissional Val do Rio, surge em 1992, com uma turma 23 alunos do Curso de Técnico de Artes Gráficas, a funcionar num andar no centro Histórico de Cascais.

1993/94 - Surge o terceiro curso: Técnico de Áudio e Vídeo, em coerência com a estratégia delineada para o sector da comunicação.
Este curso arranca simultaneamente nos polos de Oeiras e Cascais.

1995/96 - São construídos dois pavilhões no terreno contíguo ao edifício da Junção do Bem, os quais, em substituição do primeiro, aumentam a área útil dedicada às salas técnicas que permitem um significativo salto qualitativo.

1998/99 - O crescimento sustentado do polo de Cascais, impunha que se tomassem medidas mais ambiciosas, que culminaram com a transferência das instalações para uma vivenda no Estoril, que tem vindo a sofrer adaptações ao longo dos últimos anos.

Este polo da Escola Profissional Val do Rio, dispõe atualmente de excelentes condições para o desempenho das suas atividades.

Um aluno e um professor da EPVR, foram galardoados com prémios no concurso internacional para o logótipo da EXPO 98.

1999/2000 - É lançado o quarto currículo: Técnico de Telecomunicações e Eletrónica, a funcionar exclusivamente no polo de Oeiras, satisfazendo assim a resposta a solicitações de vários operadores e associações deste sector de atividade.

2000/2001 – No decurso deste ano letivo a Escola Profissional Val do Rio, no conjunto dos dois polos, Oeiras e Estoril, atinge o funcionamento de 18 turmas, 12 em Oeiras e 6 no Estoril, tendo inscritos cerca de 350 alunos.

Foram feitos trabalhos de reconhecido valor por alunos das turmas de Áudio e Vídeo, com a colaboração e reconhecimento de entidades públicas designadamente Ministério da Defesa e Direção Geral de Faróis.

Um aluno do curso de Indústrias Gráficas, ganhou um concurso relativo ao design da FilgráficaNews, cujos promotores foram a Associação de Comerciantes de Equipamento e Produtos para Artes Gráficas e Associação Industrial Portuguesa / Feira Internacional de Lisboa.

2001/2002 – Decorrente de alterações significativas ocorridas no quadro de financiamento das Escolas Profissionais, da Região de Lisboa e Vale do Tejo, no seio da Escola surgiu a ideia de organizar um evento a que chamámos Reflexão Sobre o Ensino Profissional – Novos Desafios, que teve lugar em maio de 2002, no auditório principal da Estação Agronómica Nacional em Oeiras, tendo-se saldado num enorme êxito, cumprindo integralmente os objetivos que levaram à sua realização.

2002/2003 – Em abril de 2003 foram concluídas as obras e feita a inauguração do novo campo desportivo da Escola Profissional Val do Rio.

Um grupo de alunos da Escola, a convite do Museu Nacional de Arqueologia, concebeu e realizou um presépio que foi instalado no Mosteiro dos Jerónimos, tendo recebido elogiosas referências.

2003/2004 – Iniciou-se a preparação do dossier de candidatura para a aprovação de um Curso de Especialização Tecnológica (CET) de nível V – Desenvolvimento de Produtos Multimédia em protocolo com a Universidade Atlântica.

A respetiva aprovação foi obtida em julho de 2004.

Iniciou-se também, o processo de acreditação da Escola, junto do IQF (Instituto de Qualidade da Formação).

Foram levados a efeito dois cursos de Formação de Formadores, frequentados, além do corpo docente da Escola, por formandos externos.

Teve lugar em março de 2004, no Auditório Principal da Estação Agronómica Nacional de Oeiras, o Fórum Cidadania, que contou com a presença, entre outros, do Presidente da Assembleia da Republica, Deputados, Presidente da CM de Oeiras, General Ramalho Eanes.

Foram inauguradas novas instalações na Escola Profissional Val do Rio – Auditório Mundicenter, duas novas salas de aula, em espaço cedido pela CM Oeiras, na Rua da Junção do Bem.

Foram iniciados os trabalhos de definição das áreas de atuação, em parceria com a CM Cascais, com vista à cooperação da Escola Profissional Val do Rio, na conceção e produção de material promocional para a Rede de Museus desta autarquia.

Celebraram-se os 15 anos da fundação da Azimute e da Escola Profissional Val do Rio.

2004/2005 – Em maio de 2005 foi feito o reconhecimento pelo IQF – Instituto para a Qualidade na Formação, dos requisitos determinantes para atribuição de

Certificação de Qualidade da Formação nas áreas de Artes do Espetáculo, Audiovisuais e Produção dos Media, Informática e Formação de Formadores.

Sendo o IQF a entidade nacional responsável pela acreditação de entidades formadoras, a FORPRO – EPVR, vê reconhecida a qualidade das suas intervenções no sector de formação.

A utilização da marca de acreditação é um claro compromisso da Instituição com os seus clientes e consigo própria.

Foram inauguradas em setembro de 2005, mais três salas de aula, totalmente equipadas pela Azimute – Educação Trabalho e Desenvolvimento.

Uma aluna do Curso de Artes Gráficas do Pólo do Estoril, ganhou o concurso para o novo logotipo do Planetário Calouste Gulbenkian em Belém.

Continuar a ler
Este site utiliza cookies. Continuando a navegar está automaticamente a autorizar os mesmos. Continuar